3 coisas que fiz no bairro da Liberdade e quero repetir

No início deste ano de 2017 tive a oportunidade de morar 2 meses em Barueri, cidade parte da Grande São Paulo, por causa do meu trabalho. Aproveitando a oportunidade, conheci um dos lugares de São Paulo que eu mais queria conhecer desde sempre, já que sou muito fã da cultura japonesa: o bairro da Liberdade.

Vem comigo conferir as 3 coisas que fiz no bairro da Liberdade e quero (muito!) repetir:

Comer lamen no Porque Sim

Lamen! #SP #liberdade

Uma publicação compartilhada por Isabella Czamanski (@bellacza) em


Eu moro no interior do Rio Grande do Sul, numa cidade que é absolutamente aficionada por sushi mas que, infelizmente, não tem mais nenhum tipo de culinária japonesa. Então, é claro que eu aproveitaria a oportunidade para provar um dos pratos mais icônicos do Japão: o lamen.

Como fui até o bairro com a minha amiga Jessica, que mora desde sempre em São Paulo, e o namorado dela, Felipe, fomos no lugar que ela indicou, a Karaokê Box e Lamen House Porque Sim, e, devo dizer, não tenho nada para reclamar. Talvez o fato de ser pequeno e ter uma fila para entrar e termos que esperar na chuva. Mas, isso não me abalou e o sabor do lamen com certeza me fez esquecer todo o sofrimento enfrentado para entrar no lugar.

Tive a oportunidade de ir mais uma vez no Porque Sim e, definitivamente, quero voltar lá. Além da comida ser excelente, o lugar é super charmoso, todo enfeitado com coisinhas japoneses e com umas estantes bem respeitosas cheias de mangás em japonês, que não tive coragem de mexer enquanto comia. Lá, comi lamen de missô shiro e karê pela primeira vez. Sinto saudades com frequência e até aprendi a fazer karê em casa, mas quero muito comer de novo o do Porque Sim.

Comer bibimbap no Portal da Coreia

Hoje foi dia de experimentar bibimbap com a @1988jazz na Liberdade! #SP #koreanfood

Uma publicação compartilhada por Isabella Czamanski (@bellacza) em


Sim, duas das três coisas que eu quero voltar a fazer no bairro da Liberdade são comer em lugares específicos. E, spoiler, a terceira também tem haver com comida em algum grau, haha. Sobre o Portal da Coreia, eu e a Jessica (o Felipe não foi nessa vez) descobrimos este lugar na internet, por indicações muito boas. A ideia era comer comida coreana, não importa o tipo. A Jessica, guerreira, topou o desafio.

No Portal da Coreia (de novo num dia chuvoso, mas sem filas, já que cheguei muito cedo) tivemos o desafio de escolher entre o tradicional churrasco coreano e o bibimbap. No primeiro, você recebe as carnes cruas na mesa, uma tesoura e vai grelhando tudo ao seu gosto num mini-fogareiro que cada mesa tem embutida (igual ao que vemos em doramas!). Já o bibimbap é tipo um risoto muito bonito, onde o arroz pelando fica por baixo e, em cima, temos uma variedade de vegetais, carne moída, tudo isso coroado com um ovo cru que irá se cozinhar quando misturado ao arroz escaldante.

Fomos de bibimbap e, o que posso dizer é que preciso voltar lá e comer de novo. Pedimos também giozas (que são pastéis recheados de carne e cozidos no vapor) e estava tudo muito bom. Junto com o bibimbap veio mais uma sopinha rala e uma bandeja com acompanhamentos, para cada uma de nós. Não sei exatamente o que tinha naqueles acompanhamentos, reparei apenas no broto de bambu e no kimchi (acelga apimentada e fermentada, que é mais gostosa do que eu esperava). De sobremesa, peguei um picolé coreano sabor iogurte de morango, bem gostoso.

Quero muito voltar ao Portal da Coreia e pedir outros pratos. O lugar é muito acolhedor e o atendimento faz você se sentir como se não estivesse mais no Brasil, algo que esperava sentir na Liberdade e me deixou bem satisfeita.

Fazer compras no Korea Mart

Perto da estação de metrô do bairro a Jessica me apresentou aquele que se tornaria meu mercado preferido por lá. O Korea Mart, como o nome sugere, vende diversos produtos coreanos, mas também japoneses e é um tanto maior e mais organizado do que os outros mercados em que entrei.

Lá, comprei Pocky e Pepero (aqueles palitinhos de biscoito com cobertura doce que vemos em animes), tomei Mupy (suco à base de leite se soja), Fanta Morango e Abacaxi, comprei alguns lamens instantâneos, máscaras coreanas hidratantes para o rosto e mais algumas coisas como biscoitinhos e balas. Queria provar de tudo, mas tive que selecionar bem, haha.

O Korea Mart não vende apenas comidas e produtos de higiene pessoal. No seu segundo andar, existe um bazar com diversas coisas para vender, desde itens de cozinha até decoração. As coisas são caras, não vou mentir, mas vale a pena das uma olhada.

Quando eu voltar para São Paulo quero passar por lá de novo e comprar mais umas comidas diferentes e trazer para casa!

Fonte da imagem do topo: Guia Viajar Melhor

Kawaii Box - The Cutest Subscription Box

Bairro da Liberdade comida coreia do sul Japão São Paulo

Deixe uma resposta